"Mais apoios para os mais desfavorecidos"

terça-feira, 28 de dezembro de 2010 |

" Em Olhão, o Bloco de Esquerda apresentou na Assembleia Municipal, sugestões de luta contra a pobreza e para aumentar os meios do Apoio Social, conforme comprovam estes documentos em anexo entregues na Assembleia a 3 de Dezembro. Queremos REALMENTE apoiar os mais desfavorecidos, não só no Natal mas também no Ano de 2011! "

Documento nº 1
Documento nº 2

Rui Filipe
Deputado Municipal BE

Olhão, 28 de Dezembro de 2010
(A Concelhia do Bloco de Esquerda de Olhão)
blocoolhao@hotmail.com

Pedido de intervenção (urgente)

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010 |

Ontem foi solicitada a inclusão no período "Antes da Ordem do Dia" do Pedido de Intervenção que está anexo mas o mesmo foi recusado incompreensivelmente pelo Presidente da Assembleia Municipal devido que isto era 1 tema dirigido ao Presidente Francisco Leal e que seria entregue ao Presidente da CMO depois. Parece que 1 interpretação diferente é mais importante do que este grave problema social!

Devido ao ultrapassar do horário limite que determina o "Período Antes da Ordem do Dia" o mesmo também não pôde ser apresentado verbalmente a todos os presentes.
O Pedido de Intervenção foi distribuído por todas as bancadas partidárias, mesa de vereação e ao Presidente da Assembleia Municipal.

Lamentavelmente parece que o lema "Sempre ao seu lado" só se aplica em campanha eleitoral e não durante os mandatos a que foram eleitos!

Ficamos a aguardar a actuação do Presidente Leal para auxiliar esta família tão carenciada (entre tantas, infelizmente).

Anexo: 
Pedido de intervenção

Marcos Quitério
Deputado Municipal BE

Olhão, 24 de Dezembro de 2010
(A Concelhia do Bloco de Esquerda de Olhão)
blocoolhao@hotmail.com

Sede do (Bloco de Esquerda) em Olhão assaltada.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010 |

Comerciantes e moradores queixam-se de insegurança, com assaltos em Olhão
Na madrugada do dia 10 de Dezembro de 2010 (Sexta-feira) a sede do Bloco de Esquerda de Olhão, sito na Avenida da República Galerias Avenida, loja 6 foi assaltada.

Nessa mesma madrugada, também foi assaltado um estabelecimento de comércio no mesmo local e uma tentativa de assalto a outro estabelecimento.

De salientar que no mês de Novembro o BE de Olhão teve conhecimento de mais dois assaltos a casas de comércio, um na madrugada do dia 24 (Quarta-feira) e o outro na madrugada do dia (27 Sábado) em Olhão na rua Calouste Gulbenkian.

A recente vaga de assaltos violentos registados em Olhão, fez aumentar o sentimento de insegurança de moradores e comerciantes.

A actual onda de assaltos a residências, casa de comércio percorre um pouco todo o país, sendo superior aos valores registados o ano passado. A vaga devia conhecer medidas concretas e essa deveria ser a responsabilidade do Governo. Mas não está a ser.

Uma das actuais zonas é da baixa, de Olhão, onde grupos de gangues invadem casas vazias e roubam objectos de fácil comercialização, como relógios e peças de ouro. A estranheza destes crimes está em que são cometidos principalmente por raparigas e rapazes adolescentes e crianças do sexo feminino usando cartões de crédito e radiografias para abrir portas fechadas apenas no trinco. Obviamente, os pais destas menores conhecem a situação e estão na retaguarda comandando as suas actividades e processando o produto dos seus roubos, mas quando elas são presentes aos juízes estes enviam-nas para instituições de porta aberta de onde se evadem invariavelmente e em poucas horas…

Se o Estado – mercê de um Código do Processo Penal inadequado – não demonstra ter as capacidades para manter a legalidade e se sistematicamente anula o trabalho das policias e propicia à lenta instalação de redes mafiosas (que estão por detrás destas actividades) e de autênticas “empresas de mendicidade” que se instalam em quase todas as cidades portuguesas, então não é o momento das Comissões de Menores intervirem e retirarem das ruas, estas crianças que são usadas ora para pedir para pais que nunca tiveram vontade  de trabalhar, ora para serem usadas como braços impunes do Crime?

O Bloco de Esquerda de Olhão repugna todo o tipo de situações anómalas que se têm verificado no nosso concelho e com tendência para aumentar.


Olhão, 11 de Dezembro de 2010
(A Concelhia do Bloco de Esquerda de Olhão)
blocoolhao@hotmail.com

Chuvas torrenciais provocam inundações em Olhão

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010 |

A chuva intensa que se abateu esta Quarta-feira sobre a cidade de Olhão por volta das 11 horas da manhã provocou inundações, junto à escola João da Rosa e junto de um bairro social, deixando os moradores à beira de um ataque de nervos, pois tinham lá as suas viaturas estacionadas.
No momento da ocorrência membros do Bloco de Esquerda Olhão encontravam-se no local e ouviram vários moradores a comentarem entre si, que quiseram o anonimato.

De Inverno é que a CMO se lembra de mandar limpar as sarguetas e desentupir esgotos é uma pouca-vergonha pois não é à porta desses senhores autarcas que acontece tal situação.

Fotos e vídeo tiradas por membros do Bloco de Esquerda de Olhão.

Mais fotos podem ser consultadas no link seguinte:

Fotos




video


Olhão, 08 de Dezembro de 2010
(A Concelhia do Bloco de Esquerda de Olhão)

BE: Sentimento de Insegurança em Olhão

domingo, 5 de dezembro de 2010 |

Foi detido num bar em Olhão após ameaçar quatro homens com uma faca de cozinha.

Um homem, de 34 anos, foi detido pela Polícia de Segurança Pública, este sábado, pouco depois da meia-noite, num bar de Olhão, após ter ameaçado com uma faca de cozinha quatro indivíduos que estavam naquele estabelecimento e com os quais se terá envolvido em agressões.

O detido, de nacionalidade portuguesa, que apresentava escoriações na cabeça, alegou às autoridades que só utilizou a arma branca, a qual foi buscar a casa, ao ser agredido no bar pelos homens, que agora são testemunhas no processo judicial.

Barlavento online


Olhão, 05 de Dezembro de 2010
(A Concelhia do Bloco de Esquerda de Olhão)
blocoolhao@hotmail.com

O Bloco de Esquerda (BE) apresentou um pedido de audição parlamentar do secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, sobre o atraso no financiamento do plano de viabilização do grupo Alicoop, de Silves.                            

Para o BE, o impasse na concretização do projeto que permite viabilizar a Alicoop e as políticas públicas para o comércio, “suscitam a necessidade de esclarecimentos do Governo, através de Fernando Serrasqueiro, o secretário de Estado responsável pelo setor”.

Detentora das empresas Macral, Geneco e Alisuper - a maior cadeia de supermercados do Algarve -, a Alicoop entrou em processo de insolvência em agosto de 2009, mas um plano proposto pelos credores e trabalhadores, e homologado pelo Tribunal de Silves em julho deste ano, demonstrou a viabilidade do grupo.

O apoio manifestado pelo Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas (IAPMEI), através de um plano para acautelar o financiamento de uma nova empresa para a integração da Alicoop, contribuiu para desbloquear a incerteza quanto ao futuro do grupo.

O Bloco de Esquerda considera que os atrasos do IAPMEI na atribuição do financiamento estão a colocar a recuperação da Alicoop “em risco e o encerramento volta a estar sobre a mesa”.

Em outubro passado, os responsáveis pelo projeto de viabilização do grupo Alicoop, já tinham manifestado a sua preocupação com o que classificaram de “novas exigências burocráticas” apresentadas pelo IAPMEI, que “suscitaram interrogações ao processo de viabilização”.

Aqueles responsáveis consideram que as exigências “contrariam todos os compromissos e promessas assumidos desde julho” e exigiram reuniões com o Governo na tentativa de ultrapassar “os entraves”.

Contudo, e após reuniões “inconclusivas” com o secretário de Estado Fernando Medina, os responsáveis pela gestão do projeto, manifestaram-se “apreensivos” com o futuro do grupo e dos cerca de 380 trabalhadores da maior cadeia de supermercados do Algarve.

O requerimento do BE sobre a audição parlamentar do secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, Fernando Serrasqueiro, será votado na reunião da Comissão de Assuntos Económicos, Inovação e Energia na próxima terça-feira.
 
Região Sul
 
Olhão, 05 de Dezembro de 2010
(A Concelhia do Bloco de Esquerda de Olhão)
blocoolhao@hotmail.com

Nova barra da Fuzeta gera revolta dos pescadores

sábado, 4 de dezembro de 2010 |


Uma semana após a abertura, a barra foi fechada à navegação por falta de condições. Pescadores vão exigir mudanças.

Foto: BE Olhão


Depois de ter sido aberta ao tráfego marítimo, na sexta-feira, com pompa e circunstância pela Sociedade Polis Ria Formosa, que garantiu a navegabilidade em segurança, apesar dos protestos dos pescadores, que manifestaram opinião contrária, insurgindo-se contra a obra na qual foi investido quase um milhão de euros, a nova barra da Fuzeta, no concelho de Olhão, acabou por ser encerrada, ontem, devido ao assoreamento como consequência do mau tempo.

Numa reunião marcada para hoje, em Faro, os pescadores vão exigir à presidente da Sociedade Polis Ria Formosa, Valentina Calixto, que sejam efectuadas novas alterações, com dragagens para desassorear o canal e desta vez, pelo menos, até três metros de profundidade, além da construção de uma barra fixa, com pontões de pedra, como sempre defenderam.

"O mau tempo nos últimos dias veio dar-nos razão ainda mais cedo do que esperávamos. A nova barra coloca em risco a nossa actividade. Agora, para pescarmos vamos ver o que conseguimos fazer ao tentar sair para o mar através daquele buraco que abriram ao meio da ilha da Fuzeta, que não tem condições de segurança. Para fazerem o que fizeram, mais valia não terem feito nada. Os técnicos sabem mas é do ponto de vista deles, apenas do papel. Querem que a gente vá acreditando, mas de promessas estamos fartos", disse ao DN José Romeira, tripulante da embarcação Bela Princesa, receando a ocorrência de mais acidentes mortais naquela zona, como se verificou há anos. No porto da Fuzeta estão registadas cerca de 70 embarcações de pesca, que se dedicam sobretudo à captura de polvo e marisco.

DN


Foto: BE Olhão



Olhão, 04 de Dezembro de 2010
(A Concelhia do Bloco de Esquerda de Olhão)
blocoolhao@hotmail.com

Frente ribeirinha da Fuseta vai sofrer requalificação

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010 |

Depois da abertura da nova barra de acesso ao mar, contestada pelos pescadores locais, o Polis vai avançar com obras em terra, com a requalificação de apoios de praia, estabelecimentos de restauração e bebidas e apoios de pesca, assim como acções de requalificação urbana (estacionamentos, mobiliário urbano, iluminação) e de ordenamento do estacionamento de embarcações no porto e na ilha.

A intervenção seguirá os objectivos definidos nos Planos de Praia da Fuseta Ria e Fuseta Mar, que serão aplicados no terreno a partir de Setembro de 2011. As obras vão custar cerca de 135 mil euros.

Correio da Manhã
 
Olhão, 01 de Dezembro de 2010
(A Concelhia do Bloco de Esquerda de Olhão)
blocoolhao@hotmail.com